Últimas Novidades

29/12/2013 20:57:17
Temporada de Ternos de Reis tem início na Capital
Até 6 de janeiro, grupos se apresentam em algumas comunidades, anunciando a visita dos Reis Magos
Fonte da imagem: João Batista Schuch

Enquanto muitos moradores e turistas já programam o que fazer na virada do Ano Novo e nos primeiros dias de verão, algumas comunidades de Florianópolis ainda vivem o clima natalino, preservando uma tradição trazida pelos imigrantes açorianos há mais de dois séculos. Cantando de porta em porta, os Ternos de Reis já estão pelas ruas da cidade anunciando a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus.

Até janeiro, os grupos mantêm uma intensa agenda de apresentações em diversos bairros da Capital, com um roteiro espontâneo elaborado conforme a receptividade das pessoas, que abrem as portas da casa para acolher a cantoria. No Dia de Reis (6), data que é consagrada aos Reis Magos, músicos e cantadores de oito grupos locais reúnem-se no largo da Catedral, no Centro, para o 17º Encontro de Terno de Reis, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, por meio da Fundação Franklin Cascaes.

Relembrando a presença açoriana que contribuiu para a formação cultural do município, o evento marca o encerramento do ciclo de festejos natalinos na cidade. Após a apresentação dos grupos, os participantes sairão em cortejo de despedida rumo ao Presépio da praça XV, que será desmontado a partir dessa data. Em caso de chuva, as atividades serão realizadas na Catedral Metropolitana. 

Folia e Fé

Introduzida no Brasil pela colonização portuguesa e difundida pelos jesuítas, a Folia de Reis ou Terno de Reis é uma manifestação cultural que se popularizou nos povoamentos do litoral em comemorações do ciclo natalino. Em Florianópolis, na segunda quinzena de dezembro, especialmente a partir da véspera do Natal, os grupos começam as visitas nas casas, anunciando o nascimento do Menino Jesus. Os festejos em geral prosseguem até dia 6 de janeiro, mas em algumas comunidades podem se prolongar até o Dia de São Sebastião (20 de janeiro).

Segundo a crença cristã, após longa peregrinação, os três Reis Magos encontraram aquele que consideravam o Messias e a Ele ofereceram presentes. Depois da revelação, o trio retornou às tribos para anunciar a descoberta a todos os povos. A partir do dia consagrado aos Reis Magos, as famílias costumam desmontar o presépio e retirar a decoração natalina das casas.

O Dia de Reis também marca a chegada dos primeiros imigrantes açorianos na Ilha de Santa de Catarina, em 6 de janeiro de 1748. Foram eles que introduziram na cultura local crenças e tradições que se mantêm vivas em muitas comunidades, como as cantorias de Reis e as Festas do Divino Espírito Santo.

Simbologia numérica

A tradição do Terno de Reis está curiosamente associada ao número três, que inspira o nome do folguedo religioso. Três foram os Reis Magos (Melchior, Gaspar e Baltazar) que seguiram a Estrela Guia até Belém em busca do filho de Deus, a quem deram três presentes – ouro, incenso e mirra – que simbolizam as três dimensões atribuídas a Jesus Cristo (realeza, divindade e humanidade). A apresentação dos grupos também é realizada em três partes: chegada, anúncio e despedida.

Os grupos são normalmente formados por instrumentistas e cantadores que improvisam versos e trovas alusivos ao nascimento de Jesus. Tradicionalmente, no Terno de Reis  ganha destaque três personagens: o triplo ou tripa (que canta fino, de falsete), o repentista ou versador (que faz os versos de improviso) e o baixão (cantor solo, que faz a segunda voz).

Além disso, também são três os instrumentos que se sobressaem nas cantorias: a viola, a rabeca e o pandeiro. Atualmente, os grupos apresentam-se com uma formação maior, composta por amigos e familiares, agregando às cantorias o acordeon e outros instrumentos musicais.


O Quê: Ternos de Reis nas comunidades

Quando: 23 de dezembro a 5 de janeiro 

Onde: apresentações espontâneas em diversas comunidades de Florianópolis

 
O Quê: 17º Encontro de Terno de Reis

Quando: 6 de janeiro – 19 horas

Onde: Largo da Catedral – Centro

(Em caso de chuva: Catedral Metropolitana)

Fonte do texto: FCFFC - Cultura

Autor:
Clima
Ondas

Bela Floripa © 2013 - Todos os direitos reservados