Últimas Novidades

21/05/2014 00:34:31
Capital terá congresso sobre resíduos sólidos
De catador a financiador, a apresentação de tecnologias e práticas para consolidar metas nacionais
Fonte da imagem: Divulgação/ Comcap

O 2º Congresso Técnico Brasil-Alemanha, que ocorre em Florianópolis, nos dias 27 e 28 de maio, vai apontar para tecnologias e práticas que permitirão consolidar as metas da Política Nacional de Resíduos Sólidos. O diretor de Operações da Comcap, Marius Bagnati, informa que o evento terá 10 palestrantes alemães e 20 de renome nacional.

“O escopo deste 2º Congresso Técnico Brasil-Alemanha para Gestão Sustentável de Resíduos Sólidos Urbanos abrange de catadores a financiadores, passando por experiências municipais, organizações alemãs de alta tecnologia e órgãos licenciadores brasileiros”, afirma Bagnati.

Metas ousadas e prazos curtos

As metas nacionais são ousadas e os prazos curtos, por isso é preciso aplicar tecnologias que permitam a recuperação de até 84% dos resíduos sólidos hoje aterrados. Em Florianópolis, por exemplo, onde a coleta seletiva de materiais recicláveis conta mais de duas décadas, são recolhidos de forma separada na porta dos domicílios 6,5% do total de resíduos coletados. A meta da Prefeitura de Florianópolis é chegar a 10% este ano e a 20% em 2015.

A Alemanha, compara Christiane Pereira, coordenadora da Universidade Técnica de Braunschweig e do Instituto CREED no Brasil, parceiros da Comcap e da Prefeitura de Florianópolis na organização do evento, recupera mais de 60% dos resíduos e, em alguns segmentos como o de papel e de metal, a coleta nem precisa mais da intervenção dos municípios. A coleta e reciclagem desses materiais já se tornaram atividades sustentáveis para operadores privados, desonerando os custos públicos com logística e recolhimento.

Hoje, inclusive, em razão da dependência dos preços de energia, o valor dos reciclados tem aumentado bastante na Europa, conforme adiantou o professor Klaus Fricke, em encontros preparatórios para o 2º Congresso Técnico. O palestrante é autoridade mundial em reciclagem, responsável pela implantação da coleta seletiva na Alemanha em 1983 e de outras 100 plantas de tratamento de resíduos. É consultor de três ministérios alemães e também atua no Brasil.

Fração de orgânicos deve começar a ser reciclada

No Brasil, é preciso reparar que as tecnologias já estão disponíveis e acessíveis, observa Bagnati. Daí a relevância do congresso, cuja primeira edição ocorreu em Jundiaí, São Paulo. Nesta segundo evento em cooperação com a Alemanha, a recuperação de resíduos orgânicos é o gancho central dos debates. “Hoje, metade do lixo aterrado no Brasil é composta por resíduos orgânicos. Está na hora de essa fração úmida passar a ser tratada como reciclável, assim como a fração seca composta de metais, papéis, vidros e plásticos”, propõe Bagnati.

Não há nenhuma capital brasileira que tenha a coleta diferenciada e a reciclagem de orgânicos prevista como política pública, apenas pequenas experiências de compostagem em geral em parceria com organizações civis.

Palestrantes

Klaus Fricke

Silvano Silverio

Confira programação e palestrantes em:

http://www.congressobrasilalemanha.com.br

Aqui, inscrições gratuitas.

Fonte do texto: PMF

Autor: COMCAP - Governo
Clima
Ondas

Bela Floripa © 2013 - Todos os direitos reservados