Grande Florianópolis

Águas Mornas

Localiza-se a uma altitude de 70 metros (sede municipal), possui uma área de 360,757 km². O município foi emancipado político-administrativamente de Santo Amaro da Imperatriz, em 19 de dezembro de 1961, e instalado oficialmente em 29 de dezembro de mesmo ano. Suas principais atividade econômica são: agropecuária e turismo.

É conhecida por suas águas termominerais que são consideradas entre as melhores do mundo.

As águas termais do Município de Águas Mornas são classificadas como mesotermais radioativas, com temperatura constante em torno de 39°C. As águas emergem de terrenos pré-cambrianos e apresentam teor de radioatividade, termalidade e baixa meneralização que as qualificam entre as melhores do mundo. Sua origem deve-se a um derrame triássico, que situou-se nas áreas dos municípios de Águas Mornas e Santo Amaro da Imperatriz. As rochas dominantes são os micaschilos e os gneiss, cortados por veias de diábases, pegmatitos e pelo granito.

Uma parte considerável de seu território faz parte do Parque Estadual do Tabuleiro, maior Unidade de Conservação em Santa Catarina, representando 1% do estado catarinense, é um dos habitats naturais críticos na região da América Latina e do Caribe.

Outra Unidade de Conservação do município é a RPPN Rio das Lontras, uma Reserva Particular do Patrimônio Natural criada para proteção da biodiversidade da Mata Atlântica.

Angelina

Localiza-se a uma altitude de 450 metros. Sua população estimada em 6.300 habitantes. Possui uma área de 499,947 km².

A história de Angelina começa em 1845, com a família Garcia, que fixa residência naquelas terras. Mais tarde Garcia passa a se chamar um distrito do município.

Inicialmente a colônia foi denominada Colônia Nacional, sendo reservada para nativos da região e descendentes de imigrantes açorianos da Villa de São José. Em 1858 chegaram os primeiros imigrantes alemães, vindos das colônias vizinhas de Sacramento, Santa Isabel e São Pedro de Alcântara, que batizaram o lugar com o nome de Villa Mundéus (armadilha rudimentar de caça usada na época). Além dos alemães, a Villa também abrigou imigrantes oriundos de Luxemburgo, França, Bélgica, Holanda, Itália e Polônia, que ali chegaram em torno de 1862. O encarregado de medir e demarcar os lotes da colônia e seu primeiro diretor foi o engenheiro agrimensor Carlos Othon Schlappal.

Em 1891 torna-se distrito de São José e recebe o nome de Angelina, em homenagem ao então presidente do Conselho de Ministros do Rio de Janeiro, Ângelo Moniz da Silva Ferraz (Barão de Uruguaiana). Torna-se cidade 70 anos depois, em 1961. Seus distritos: Garcia, Barra Clara e Angelina. Principais localidades: Rio Fortuna, Betânia (ex Rio Perdidas), Rio Engano, Rancho de Táboa , Linha dos Chaves, Palhocinha, Centro e Quarta Linha.

Anitápolis

Localizado na área da Grande Florianópolis, a cerca de 85 km da capital do estado. Anitápolis é servida pela rodovia SC-207 (antiga SC-407), que a liga a Rancho Queimado e a Florianópolis (via BR-282, ao norte) e aos municípios de Santa Rosa de Lima, Rio Fortuna e Braço do Norte (ao sul).

Estando a uma altitude de 430 metros, possui uma área de 576,42 km². Sua população estimada em 3350 habitantes. O nome é uma homenagem à "heroína de dois mundos" - Anita Garibaldi.

Há também outro município no estado de Santa Catarina cujo nome é homenagem a Anita: Anita Garibaldi. A cidade é cortada pelo rio do Povoamento, a montante do qual (a cerca de 500 m da cidade) foi construída uma pequena usina hidrelétrica para abastecer a cidade, hoje desativada. As pequenas barragens e a queda d'água do local hoje servem como área de lazer para os moradores. Ao redor existem várias churrasqueiras e uma lanchonete contruída pela prefeitura e mantida por particulares através de concessão. A jusante, ao atravessar a cidade, o rio recebe vários derrames de esgoto de casas à beira, o que contribui para a poluição da bacia do rio Tubarão e depõe contra a vocação turística da cidade.

Cachoeira da Usina e a Serra da Garganta. Turismo rural: pousadas do programa Acolhida na Colônia. Trilhas ecológicas: Trilha do Índio, na subida da Serra Geral, em direção a Urubici.

Antônio Carlos

Antes da chegada dos alemães ao Alto Biguaçu, portugueses e negros já habitavam a região. Foi no ano de 1830 que alguns alemães, comandados por João Henrique Schöeting, desbravaram a planície do Rio do Louro e deram início a efetiva colonização das terras que viriam compor o município de Antônio Carlos. A história conta que dez famílias iniciaram a colonização, primeiro em Louro e mais tarde em Rachadel e Santa Maria.

Os imigrantes eram originários do estado alemão da Renânia - Palatinado, especialmente do altiplano Hunsrück. Haviam sido instalados na primeira colônia germânica de Santa Catarina, São Pedro de Alcântara, local de solo árduo e impróprio para a agricultura. Por isso, foram em buscas de novos recantos e encontraram as planícies próximas ao rio Biguaçu.

O maior legado deixado pelo imigrante alemão foi a força destemida para o trabalho nas terras de Antônio Carlos. Seus descendentes construíram ao longo do século XX um patrimônio cultural bastante expressivo. Mantiveram os principais costumes e ergueram o município com ordem e determinação.

O município de Antônio Carlos foi criado em 6 de novembro de 1963, desmembrado de Biguaçu. Seu nome foi uma homenagem ao estadista brasileiro Antônio Carlos Ribeiro de Andrade, político mineiro com grande atuação na Revolução de 30.

Apesar do contato antigo com Florianópolis, Antônio Carlos ainda mantém características marcantes da colonização como fé e cultura familiar, culinária, dialeto ainda hoje falado e a arquitetura preservada que dá charme à cidade.

Biguaçu

Divisa a oeste com o município de Antônio Carlos, a leste com o oceano Atlântico (Baia Norte da Ilha de Santa Catarina, onde se localiza a capital do estado, Florianópolis) e também com o município de Governador Celso Ramos. Divisa ao norte com Tijucas e Canelinha e ao sul com o município de São José.

Situada entre os dois maiores portos catarinenses, Itajaí e Imbituba, e próximo da capital, além de ter saída para o mar, sem contar na facilidade de acesso, já que a BR-101 duplicada corta o município, e a BR-282, que liga a capital catarinense ao interior do estado fica a apenas 12 km de distância, por via duplicada e de fácil acesso.

O município fica em uma região onde a mata atlântica predomina, embora hoje esteja restrita a morros ou pequenas áreas residuais. Não há reservas ambientais ou plano de prevenção à ocupação desordenada do solo. Devido a forte especulação imobiliária, espaços verdes diminuem rapidamente. O município também deve encontrar dificuldades no abastecimento de água potável no futuro próximo, já que praticamente toda água consumida no município vem de outras cidades, aliando-se ao alto crescimento populacional da região, embora o potencial hidríco seja considerável, faltando apenas sua proteção e uso racional.

Governador Celso Ramos

Localiza-se a uma altitude de 40 metros. Sua população estimada em 14.000 habitantes. Possui a economia concentrada na pesca e no turismo, que é elevado no verão, com destaque para as suas mais de 30 praias, baías e penínsulas, além de belas reservas ecológicas e excelentes pousadas. O município também é conhecido por promover a “Farra do Boi”, que consiste na soltura do animal pelas ruas da cidade, onde então é perseguido e maltratado, sob alegação de que o ritual faz parte da cultura açoriana a qual tentam manter viva para preservar suas origens. Porém devido aos excessos nos últimos anos tem sido reprimida e fiscalizada pelas polícias Militar e Rodoviária.

O município é especializado na extração de moluscos, constituindo-se num dos maiores pólos produtores de marisco de cultivo do estado, a par de um importante centro de pesca. Também conta com Resorts e Parques aquáticos e uma grande industria pesqueira concentrada no município. Também abriga uma grande empresa de Comércio e Distribuição de Gás a Gastec que fica no bairro de Areias de Baixo.

Palhoça

O município possui, segundo o Censo IBGE do ano de 2010, uma população de 137.344 habitantes, sendo o décimo município mais populoso do estado.

Palhoça faz divisa com as cidades de São José, São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz, e Paulo Lopes.

Bela por natureza, com este slogan o município segue se desenvolvendo e ampliando seu parque industrial e comercial. Localizado a 6 km do centro de Palhoça o Morro da Pedra Branca possui magnífica vegetação de mata nativa, com belas trilhas que conduzem ao topo. Do alto dos seus 500 m é possível avistar os municípios vizinhos. Há quem diga que o Cambirela tem uma magia e quem sobe uma vez sempre quer voltar.

Palhoça possui um dos maiores mangues de toda a América do Sul. O mangue ou manguezal é a vegetação alagadiça dos litorais quentes e das zonas pantanosas. Situado entre a zona de transição entre o mar e a terra firme, em locais protegidos da ação direta do mar, seu aspecto é geralmente arbustivo e seu solo é lodoso e salgado.

Quem gosta de caminhar por trilhas e apreciar a exuberante vegetação da Mata Atlântica, bromélias, orquídeas, além da variedade de pássaros é uma boa alternativa.

Seu litoral é bem privilegiado, com belas praias: Praia do Sonho, Pinheira, Guarda do Embaú e de Fora, visitadas durante o ano todo por moradores, turistas e surfistas.

Rancho Queimado

Localiza-se a uma altitude de 810 metros. Sua população, segundo o Censo Brasileiro de 2010, é de 2.748 habitantes, e possui uma área de 286,432 km².

Fica a 65 km de Florianópolis e tem este nome devido ao fato de um rancho, antiga pousada de tropeiros que viajavam do litoral para o município serrana de Lages, ter-se incendiado. Ficou o nome.

Uma das atrações do município é o museu histórico, a antiga casa de campo de Hercílio Luz.

Um de seus distritos mais famosos é Taquaras, onde se realiza anualmente a Festa do Morango.

Na cidade também se encontra a fábrica de refrigerantes Leonardo Sell uma das mais antigas do Brasil, desde 1905, que é fabricante do tradicional refrigerante PUREZA.

Santo Amaro da Imperatriz

Sua população de aprox. 19.000 habitantes. Possui uma área de 352,4 km². Está a uma altitude média de 18 metros. Com uma economia basicamente da agricultura, o município vem se destacando também no turismo devido ao seu grande manancial natural.

Santo Amaro é muito bem reconhecido regionalmente pelos seus disputados campeonatos amadores de futebol, alem de seus times terem uma fama de times de raça e realmente dificílimos de serem batidos.

A cidade de Santo Amaro da Imperatriz é calma e hospitaleira. As águas termais jorram da terra a uma temperatura de 41,5° C, e suas propriedades terapêuticas têm fama internacional, atraindo visitantes de todo o mundo para tratamentos de saúde, descanso e rejuvenescimento.

O Município oferece muitas opções de lazer, com suas águas termais, atrativos naturais e variadas festividades religiosas e culturais. As belezas naturais oferecidas pela natureza exibem um maravilhoso cenário.

As montanhas imponentes da Mata Atlântica, um verdadeiro Santuário Ecológico, as belezas e os mistérios da Serra do Tabuleiro, contribuem para que o Município se torne cada vez mais atraente aos que praticam o Ecoturismo.

Os esportes radicais: vôo livre, motocross, canoagem em corredeiras dos rios, etc., estão presentes no calendário de eventos e, já quase firmaram no município, proporcionando, inclusive, em algumas modalidades, campeonatos em nível nacional.

São Bonifácio

Localiza-se a uma altitude de 410 metros. Sua população estimada em 3 600 habitantes. Possui uma área de 452,48 km².

Reconhecida como a Capital Catarinense das Cachoeiras, São Bonifácio conta com uma bela natureza, exuberante em sua forma e variedade, formada por um relevo sinuoso, coberto por uma vegetação única, com uma grande variedade de plantas e animais, trilhas e rios, sendo 25% pertencente ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro.

Suas áreas de verdes, em colinas, formam um lindo cenário, associado à arquitetura típica das residências em estilo enxaimel, junto com cachoeiras que dão o título a cidade.

Tudo isso torna São Bonifácio um local ideal para passeios em trilhas ecológicas, rafting e rapel.

A tradição dos colonizadores Alemães permanece viva em diversos aspectos de São Bonifácio: na arquitetura de suas casas conservada, no jeito de falar, mas principalmente, o que torna inesquecível para quem visita São Bonifácio, é a Culinária.

O povo São Bonifácio adaptou a gastronomia Alemã trazida pelos colonizadores, com os ingredientes encontrados aqui, chegando à culinária atual, com destaque ao guemüse e a sopa de galinha caipira.

São José

Faz parte da região metropolitana de Florianópolis, no litoral do estado, junto com a capital catarinense.

Possui, segundo o Censo IBGE do ano de 2010, uma população de 209.804 habitantes, sendo o quarto município mais populoso do estado, atrás de Joinville, Florianópolis e Blumenau.

Faz divisa com os municípios de Biguaçu e Florianópolis. Também faz divisa com o município de Palhoça, onde na divisa encontra-se o rio Imaruim. Também possui limites com os municípios de São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz e Antônio Carlos.

A base de sustentação da economia josefense está fundamentada no comércio, indústria e atividade de prestação de serviços, mantendo ainda a pesca artesanal, maricultura, produção de cerâmica utilitária e agropecuária como atividades geradoras de renda. Possui mais de 1.200 indústrias, cerca de 6.300 estabelecimentos comerciais, 4.800 empresas prestadoras de serviços e 5.300 autônomos. São José apresenta ainda um enorme potencial turístico, histórico, cultural e arquitetônico, tendo como destaque o complexo histórico-arquitetônico do Centro Histórico com casarios de origem luso-brasileira dos séculos XVIII, XIX e XX e de construções isoladas associado a inúmeras belezas naturais-paisagísticas e aos centros gastronômicos.

As últimas grandes obras na cidade foram a Avenida Litorânea - a Beira-Mar de São José e o Centro Multiuso, que fica nesta mesma avenida. Hoje uma de suas principais avenidas, a Av. Pres. Kennedy foi totalmente revitalizada, valorizando o pedestre e o comércio local.

A cidade tem um comércio muito diversificado, bons hotéis, shoppings, casas noturnas e variada gastronomia. Hoje muitos florianopolitanos atravessam a ponte para usufruir do comércio ou se diverir nas diversas casas noturnas deste município.

Clima
Ondas

Bela Floripa © 2013 - Todos os direitos reservados